Glossário

O USO EXCESSIVO DE CONCEITOS RECENTES OU TERMOS TÉCNICOS PODE GERAR CONFUSÃO EM RELAÇÃO AO SEU SIGNIFICADO. 

É NOSSO DEVER GARANTIR QUE A INFORMAÇÃO QUE DISPONIBILIZAMOS É CLARA. ESTE GLOSSÁRIO SERVE ESSE PROPÓSITO.
TOGETHER WE #CHOOSETOMORROW.  

 

A 

 

AGRICULTURA ORGÂNICA

Um sistema que se baseia numa gestão holística dos ecossistemas em vez de inputs agriculturais externos tais como químicos, pesticidas e fertilizantes.

São usadas práticas de gestão adequadas aos locais para aumentar a fertilidade do solo e a biodiversidade.

 

ALGODÃO ORGÂNICO

Algodão proveniente de plantas não-geneticamente modificadas, sem uso de químicos de agricultura sintéticos e dentro de um sistema pensado para aumentar a biodiversidade e os ciclos biológicos para prevenir a erosão do solo e a poluição da água.

 

AGRICULTURA REGENERATIVA

Toda a vida humana depende do solo, que tem a capacidade de reter três vezes mais carbono do que aquele encontrado na atmosfera.

As Nações Unidas declararam que ⅓ do nosso solo global está degradado. É essencial que apoiemos a resiliência e regeneração do nosso solo para aumentar a biodiversidade, melhorar ciclos de água e contribuir para o bio sequestro. A agricultura regenerativa baseia-se em ideologias como permacultura, agroecologia e gestão holística e actua como uma abordagem de raciocínio natural, orgânico e sistémico.

 

ABORDAGEM SISTEMÁTICA

De forma a abordar desafios complexos e interdependentes, é preciso assumir uma abordagem sistémica. Uma abordagem que tenha em conta todas as relações entre os vários elementos de um sistema e os seus impactos e que pretende criar Valor & Sistema partilhados.

‘Os negócios só podem prosperar se a sociedade e a natureza também prosperarem. A sociedade só pode prosperar se as suas necessidades estiverem a ser supridas por um ambiente natural saudável. Estas relações, melhor descritas como dependências em cadeia, são chave para entender como opera a nossa economia global. Um sistema pode ser definido como um conjunto de partes interrelacionadas e interdependentes (ou subsistemas) que operam colectivamente na busca de um propósito comum.’ - Future-Fit Business Benchmark.


B 

 

BIOGLITTER

O Bioglitter® cosmético substitui a película de poliéster usada no glitter tradicional por uma forma muito especial de celulose extraída de madeira de lei, principalmente eucaliptos fornecidos por plantações geridas de forma responsável e certificadas, que operam segundo os standards de gestão florestal responsável do PEFC™.

 

BIODEGRADAÇÃO & COMPOSTAGEM

A biodegradação é o processo de transformação de matéria orgânica numa nova biomassa através de microorganismos.

Na prática, quase todos os compostos e materiais químicos estão sujeitos a processos de biodegradação. O que difere é o tempo necessário para que esses processos ocorram e qual o impacto que os químicos têm no ambiente à sua volta durante a degradação.

A compostagem é um método anaeróbico de biodegradação que requer intervenção humana para transformar resíduos orgânicos sólidos em fertilizante. O composto é um excelente fertilizante para o solo e altamente regenerador.


C 

 

CIRCULARIDADE & ECONOMIA CIRCULAR

Uma economia circular é um sistema económico com o propósito de eliminar o desperdício do ciclo de vida dos produtos. O objectivo é fechar ciclos de energia e matéria através do uso contínuo de recursos, reduzindo assim a necessidade de recursos virgem.

A circularidade pode ser atingida através de design de longa duração, manutenção e reparação eficazes, reutilização, refabricação, remodelação, reciclagem, upcycling e energia renovável.

Modelos de renting e negócios de economia partilhada trouxeram soluções de grande valor e inovação ao desenvolvimento do sistema.

 

CIDADÃO

Tu és um cidadão e, como tal, parte activa num ecossistema social, ambiental e económico. Tu és responsável pelas tuas acções, na mesma medida em que és beneficiário das acções das outras pessoas.

Ao interagires com este espaço digital ‘a favor do propósito’, tornas-te uma parte activa do nosso ecossistema, um cidadão do Boom Festival Bazaar, um cidadão de cada uma das marcas que escolhemos de forma consciente.

Nós próprios, enquanto cidadãos, criámos este espaço para ti - para te ajudar a considerar um investimento com propósito e sustentável.

 

CORTIÇA PORTUGUESA

Portugal produz aproximadamente metade da cortiça colhida anualmente em todo o mundo. Um material natural com propriedades de impermeabilidade, flutuabilidade, elasticidade e de retardação de fogo, proveniente da casca do sobreiro. A árvore não é abatida para produzir o material e este pode também ser facilmente reciclado.

Os montados de sobro desempenham um papel importante no sequestro de carbono, uma vez que a árvore é uma espécie de crescimento lento que pode viver por mais de 200 anos. A indústria da cortiça portuguesa fez largos progressos ao longo da última década no que diz respeito a sustentabilidade, procurando estabelecer relações entre diversos sectores com vista a dar um potencial uso a todos os subprodutos associados ao processamento de cortiça.

 

COM PROPÓSITO

Uma abordagem ‘com propósito’ pretende adicionar valor partilhado a todos os intervenientes envolvidos no processo, bem como desenvolver soluções duradouras com impacto regenerativo.

 

CERTIFICADO DE COMÉRCIO JUSTO

Uma certificação que garante a sustentabilidade do rendimento e condições de trabalho seguras para as pessoas envolvidas na produção de um produto. A organização promove também práticas ambientais, proibindo os químicos mais prejudiciais e tomando medidas para proteger os recursos naturais e a regeneração das comunidades locais.

 

CERTIFICADO FSC

Uma certificação que assegura que os produtos vêm de florestas geridas de forma responsável, trazendo benefícios sociais e económicos, bem como protegendo as florestas para as gerações futuras.

A organização monitoriza as exigências de mercado para prevenir a desflorestação e garantir que as florestas são geridas de forma responsável e de acordo com as suas directrizes.

 

CERTIFICADO GOTS

Um produto certificado pela entidade de processamento têxtil líder a nível mundial, a Global Organic Textile Standard, que garante um fabrico social e ecologicamente responsável desde a colheita das matérias primas até à rotulagem.


D 

 

DEADSTOCK/STOCK MORTO

Deadstock ou stock morto são as sobras ou excessos de tecido de qualidade comercial destinados a ser ‘downcycled’ ou enviados para o lixo.

O stock morto geralmente ocorre quando há sobras no final de uma época, testes de tecido que não puderam ser comercializados, excesso de produção ou devoluções por parte dos clientes.

Produtores de tecidos, armazéns de stock morto, marcas de moda ou lojas de tecidos são algumas das empresas que armazenam ou vendem stock morto.

 

DESPERDÍCIO ZERO

Uma prática que visa acabar com o hábito de enviar produtos para aterros, incineradoras ou para os oceanos no seu fim de vida. Consegue alcançar-se redesenhando o ciclo de vida dos produtos de forma a poder reutilizar os seus componentes quando estes já não forem úteis na sua forma original, sem ameaçar o ambiente ou a saúde humana.

E

 

ECONOMIA LOCAL

A tua economia local é constituída pela área de produção, distribuição, comércio e consumo de bens e serviços na tua localidade, cidade, distrito ou região.

De forma a construir resiliência face às alterações climáticas, ao preço de serviços, cadeias de distribuição e à instabilidade financeira dentro das comunidades locais, é importante investir na tua economia local.

 

EFICIÊNCIA DE RECURSOS

Devemos reduzir a nossa dependência de recursos naturais. Assim, temos de reutilizar recursos existentes de forma mais eficiente e inovadora e começar a desassociar crescimento de consumo de recursos naturais para assim desbloquear novas fontes de crescimento.

Estas actividades incluem, entre outras, energias renováveis, uso eficaz de água, ciclos locais naturais de tratamento, práticas de desperdício zero, partilha de soluções económicas, iniciativas de construção sustentável - tais como telhados verdes, orientação solar ideal, materiais, vidros duplos e iluminação LED.

 

EROSÃO DOS SOLOS

A erosão dos solos é o deslocamento da camada superficial do solo que é causado naturalmente (chuva, cheias e ventos) e é altamente estimulado pelas actividades humanas (agricultura intensiva e insustentável, desflorestação, alterações climáticas & expansão urbana).

A erosão resulta na perda de nutrientes no solo, menor qualidade da água à superfície e redes de drenagem, o que leva a uma diminuição na produtividade agrícola e no sequestro de carbono.

Uma vez erodido, pode demorar até 1000 anos para se formar novo solo superficial fértil.

F

 

FLORESTAS SUSTENTÁVEIS

Cada floresta tem o seu próprio ecossistema e biodiversidade que deve ser mantido e conservado de forma a aumentar a sua capacidade de regeneração. Uma Gestão Florestal sustentável é definida pelo empenho de todos os intervenientes em determinar a estratégia socialmente mais justa, ecologicamente saudável e economicamente viável.

G

 

GREENWASHING

A prática de comunicar falsamente que um produto ou empresa compensou ou eliminou todos os impactos sociais e ambientais ao longo da sua cadeia de valor.

Por exemplo, publicitar uma empresa como sendo sustentável porque produz uma linha de vestuário feita com tecidos de baixo impacto ambiental, como algodão orgânico e tencel, mas que produz uma quantidade massiva de cada peça, sem olhar ao potencial desperdício, e o faz em condições precárias e desumanas.

Todos os aspectos dos processos e produtos de uma empresa têm de ser analisados e tidos em conta e o importante é comunicar a verdade e demonstrar que estão a ser feitos esforços na direcção certa.

I

 

IMPACTO AMBIENTAL ZERO

Produtos ou organizações que equalizam ou eliminam qualquer impacto negativo social e ambiental ao longo da sua cadeia de valor. A responsabilidade prende-se com acções directas e mutuamente imputáveis, tais como as acções de parceiros subcontratados.

 

IMPACTO AMBIENTAL POSITIVO

Produtos ou organizações que actuam para reverter os efeitos de degradação social e ambiental. Impacto ambiental positivo também envolve o esforço para evitar futura degradação. As organizações assumem responsabilidade sobre impactos indirectos, zelando, por exemplo, pelo bem-estar das pessoas directamente impactadas pelas suas actividades ou produtos e pelo ânimo, saúde e resiliência das comunidades nas quais operam.

M

 

MADEIRA RECUPERADA

Qualquer tipo de madeira que já tenha sido usada ou que já tenha servido um propósito. Usar madeira recuperada reduz a necessidade de madeira virgem, tornando-se assim uma opção de mais baixo impacto ambiental ao produzir um produto. Devemos assegurar-nos que a madeira está em condições de ser manuseada em segurança e que os métodos e materiais usados para tratar e transformar o material são sustentáveis.

O

 

OEKO-TEX®

Uma associação com a missão de criar confiança na produção de têxteis e pele, através de standards e certificados que garantem que o produto é seguro, valorizam a produção sustentável e uma cadeia de valorização transparente.

A organização é composta por 18 laboratórios independentes de testes e pesquisa na Europa e no Japão, que são responsáveis em conjunto pelo desenvolvimento dos seus métodos.

Neste momento os certificados Oeko-Tex® fazem parte das marcas mais reconhecidas e bem estabelecidas, confirmando a segurança ecológica e humana dos produtos têxteis e artigos de pele.

P

 

PIÑATEX

Piñatex® é um têxtil natural feito das fibras das folhas do ananás. As folhas são um subproduto das colheitas de ananás e o seu uso cria um rendimento adicional para as comunidades agrícolas. Piñatex® é uma alternativa ao couro, à qual é retirada a goma e que é submetida a um processo industrial para se tornar numa malha não-tecida. Tem uma origem sustentável, livre de crueldade e é produzida com grande responsabilidade social.

 

PET RECICLADO

A sigla PET significa polietileno tereftalato e é mais notoriamente usado para produzir embalagens de uso único para comida, bebidas, cosméticos e farmacêutica.

A gestão do desperdício plástico tornou-se um sério desafio ambiental durante o século 21, motivo pelo qual se desenvolveram muitas aplicações para o PET reciclado como matéria prima, incluindo transformá-lo em fibras de poliéster para produção de tecidos.

Os microplásticos são neste momento um tópico altamente investigado no que diz respeito ao impacto ambiental devido à descoberta da libertação de microfibras para os cursos de água durante a lavagem de qualquer tecido sintético derivado de óleo, bem como da existência de microplásticos nos ambientes urbanos.

Existem soluções industriais bem como soluções domésticas - como bolas e sacos para lavagem da roupa - que conseguem conter a libertação de microfibras. Contudo, não foi ainda desenvolvida uma solução abrangente para esta questão.

R

 

REFLORESTAÇÃO

As florestas são sumidouros de carbono essenciais e a sua regeneração é vital para melhorar a qualidade de toda a vida na terra. A reflorestação é portanto um dos métodos chave para aumentar o bio sequestro, capturando o carbono no ar e retendo-o no solo, abrandando a sua libertação e nutrindo o solo no processo. Para que o processo seja bem sucedido, o carbono não deve regressar à atmosfera através de incineração ou biodegradação. Uma maior variedade de árvores e espécies da área natural de uma floresta irão restaurar a biodiversidade e o solo de forma mais eficaz.

 

REGENERAÇÃO

Já atingimos o ponto mais alto de consumo dos recursos naturais do nosso planeta. Manter o nosso estado actual simplesmente não é suficiente. Temos de começar a restituir e recuperar a degradação que infligimos na sociedade e no ambiente. A única forma de abraçar a regeneração é através da colaboração e alinhamento dos valores de todos os intervenientes de um sistema, de forma a desenvolver soluções integradas e de longo termo.

A regeneração é uma excelente oportunidade para inovação e crescimento económico, podendo vir a gerar 380 milhões de empregos segundo um cálculo das Nações Unidas.

S

 

SEQUESTRO DE CARBONO

O dióxido de carbono pode ser capturado da atmosfera de forma natural ou artificial. Algumas técnicas de sequestro de carbono exploram processos naturais de bio sequestro, tais como a florestação, reflorestação, arborização urbana, cultura de algas, requalificação de zonas húmida e agricultura e métodos de cultivo que devolvem biomassa ao solo e ao subsolo.

Ao mesmo tempo que reduzimos as emissões de carbono antropogénicas, temos de remover o carbono da atmosfera para mitigar o aquecimento global, tornando assim fundamentais os projectos de bio sequestro.

 

SALÁRIO CONDIGNO

Um salário condigno corresponde ao rendimento mínimo necessário para que alguém possa suprir as suas necessidades básicas na cidade ou área em que vive. Necessidades básicas incluem comida, alojamento e vestuário.

 

SUSTENTABILIDADE

Sustentabilidade para nós significa impacto ambiental e social zero. Uma realidade onde a actividade desenvolvida por qualquer tipo de organização irá ter o menor impacto negativo ambiental e social possível (ou mesmo nenhum) em todas as fases da cadeia de abastecimento, uso final e fim de vida.

 

STONE PAPER®

O Stone Paper®, ou papel de pedra, é certificado pela Cradle to Cradle® e é um produto de papel bioplástico que foi desenhado para ser à prova de água, durável e maleável. É composto por 80% de Carbonato de Cálcio e 20% de PE reciclado e pode ser infinitamente reciclado nas estações de tratamento de plásticos. É produzido sem água, toxinas, cloro ou ácidos e é naturalmente branco.

U

 

UPCYCLING

Upcycling envolve transformar produtos ou materiais no seu fim de vida em soluções novas e de maior qualidade, com melhor valor ambiental.

O termo começou a popularizar-se entre as comunidades focadas na sustentabilidade através de William McDonough e Michael Braungart no seu livro Cradle to Cradle®. Cradle to Cradle® descreve uma abordagem biomimética ao design de produtos e sistema, vendo sempre os materiais como nutrientes seguros e saudáveis que são técnicos ou biológicos.

 

PT
PT